Espólio Fernando Pessoa - Alberto Caeiro
O Guardador de Rebanhos
O Pastor Amoroso
Poemas Inconjuntos
Apresentação
Nota explicativa
Galeria
Ficheiro topográfico
Abreviaturas
Mapa de conte˙dos
 
  Manuela Vasconcelos
Página inicial
 

Objectivos

O projecto «Manuscritos de Pessoa em linha» inicia-se com a poesia de Fernando Pessoa em língua portuguesa, abrindo com o heterónimo Alberto Caeiro. O objectivo é ir colocando à disposição dos investigadores e do público em geral os documentos que constituem o espólio de Fernando Pessoa (BN Esp. E3), actualmente constituído por 105 caixas, que foi incorporado no Arquivo de Cultura Portuguesa Contemporânea (ACPC) em 1981.

Atribuição de poemas a Alberto Caeiro

O primeiro problema que se coloca quando se pretende disponibilizar a poesia de Alberto Caeiro é a de decidir, para além dos poemas assinados como Caeiro, quais os atribuíveis a este heterónimo. No caso presente, as atribuições basearam-se na publicação, pelo próprio Pessoa, de poemas de Caeiro nas revistas «Athena» (1925) e «Presença» (1931) e nas publicações póstumas da sua obra, organizadas por Luiz de Montalvor e J. Gaspar Simões (1946); Aliete Galhoz (1960, 1986); T. Sobral Cunha (1994); F. Cabral Martins e R. Zenith (2001) (cf. Referências). Incluíram-se todos os poemas que foram atribuídos a Caeiro por qualquer um destes editores, mesmo quando há atribuições contraditórias:

«Duas horas e meia da madrugada. Accordo e adormeço.» (BN Esp. E3/65-55v) : atribuído a Caeiro por F. Cabral Martins e R. Zenith (p. 156) e a Álvaro de Campos por Teresa Rita Lopes (p. 218-219)
«Ver as cousas até ao fundo...» (BN Esp. E3/66-27r) : atribuído a Caeiro por T. Sobral Cunha (p. 149), mas publicado como ortónimo por Ivo Castro (p. 62) (cf. Referências)

Poemas de Alberto Caeiro

O corpus da poesia de Alberto Caeiro está distribuído por 17 envelopes (os documentos do espólio estão arrumados em envelopes numerados, cada um deles contendo um número variável de documentos, a que também foi atribuído um número) e pelo manuscrito encadernado com a cota E3/145 que reúne os 49 poemas de «O Guardador de Rebanhos». O envelope 67 é o que reúne o maior número de poemas.

A estrutura proposta é fornecida pelo próprio Pessoa no projecto editorial «O Regresso dos Deuses – I. Poemas Completos de Alberto Caeiro (1889-1915).» (BN Esp. E3/48C-28). Apresentamos apenas o item 3 «Poemas Completos de Alberto Caeiro», abaixo, sendo a restante informação disponibilizada quando se incluir textos em prosa dos outros heterónimos.

1. Nota dos Editores
2. Prefacio do Dr. Ricardo Reis.
3. Poemas Completos de Alberto Caeiro :

I. O Guardador de Rebanhos
II. O Pastor Amoroso
III. Poemas Inconjuntos

4. Natividade de Alberto Caeiro, por Fernando Pessoa.
5. Notas para a recordação do meu mestre Caeiro, por Álvaro de Campos

Critérios de inclusão e de ordenação dos poemas

A inclusão dos poemas em cada conjunto é em parte da responsabilidade de Pessoa (os títulos são apresentados sem parênteses rectos) e em parte dos editores (títulos entre parênteses rectos). Assim, cada um destes três núcleos está subdivido em três sub-núcleos, que vêm acompanhados de uma explicação sobre os seus conteúdos:

O Guardador de Rebanhos

O Guardador de Rebanhos
Caderno intitulado pelo autor «O Guardador de Rebanhos», que inclui os 49 poemas deste ciclo (BN Esp. E3/145)

[O Guardador de Rebanhos]
Versões dos 49 poemas que fazem parte do ciclo «O Guardador de Rebanhos», escritas nos mais diversos suportes e quase todas anteriores às do caderno

[O Guardador de Rebanhos : anexo]
Poemas que fizeram parte do ciclo «O Guardador de Rebanhos», mas não foram integrados na versão final, e fragmentos eventualmente relacionados com este ciclo.

O Pastor Amoroso

O Pastor Amoroso
Poemas I e II (numerados pelo autor), editados postumamente

[O Pastor Amoroso]
Seis dos oito poemas editados postumamente sob o título «O Pastor Amoroso» (excepto I e II)

[O Pastor Amoroso : anexo]
Fragmento eventualmente deste ciclo

Poemas Inconjuntos

Poemas Inconjuntos
Versões dos 17 poemas publicados pelo autor, 16 sob o título «Escolha de Poemas de Alberto Caeiro: (1889-1915). Dos ‘Poemas Inconjunctos’: (1913-1915)» na revista Athena, Lisboa, vol. I (5) Fevereiro 1925 e um, com o título «O Penúltimo Poema», na presença, Coimbra, vol. II (31-32) Março-Junho 1931

[Poemas Inconjuntos]
Versões dos poemas editados postumamente sob este título

[Poemas Inconjuntos : anexo]
Textos de inclusão discutível

A ordenação dos poemas em cada núcleo varia em função dos documentos.

«O Guardador de Rebanhos» : segue a ordenação de Pessoa (E3/145), estando os poemas numerados de 1 a 49.
«O Pastor Amoroso» : dois poemas numerados pelo autor; os restantes seis ordenados alfabeticamente.
«Poemas Inconjuntos» : ordenação alfabética

Sob cada item foram incluídas as diferentes versões desses poemas e variantes de um ou mais versos; a ordem por que são apresentadas é quase sempre cronológica, da mais recente para a mais antiga, o que na maior parte dos casos, mas nem sempre, corresponde à da mais completa para a menos completa. Quando o 1º verso ou título figura em listas de Pessoa, esse documento é incluído no final.

Galeria de imagens: corpus da poesia de Alberto Caeiro

A galeria de imagens apresenta os manuscritos da poesia de Alberto Caeiro tal como estão arrumados no espólio, por número do envelope, facilitando o acesso directo:

  • através de Documento integral à descrição e imagem integral do documento.
  • através de Destaque à descrição e imagem do poema em destaque.

Descrições dos documentos

Cada documento é acompanhado por uma ficha que o descreve o mais exaustivamente possível. Essas descrições, da responsabilidade do ACPC, têm por base a catalogação feita no âmbito da Equipa Pessoa.

1. Ficha principal e fichas específicas
A cada documento (que pode ter uma ou mais folhas) corresponde sempre uma ficha principal (acedida através de Documento integral) que:

  • descreve a peça na sua totalidade, partindo da identificação do poema que figura em primeiro lugar na página e incluindo informação específica sobre ele
  • faz referência a todas as unidades textuais presentes na peça

A cada uma dessas unidades textuais corresponde uma ficha específica (acedida através de Destaque) que fornece informação apenas sobre o poema em destaque, remetendo para a respectiva ficha principal.

2. Título e 1.ºs versos
A identificação do poema é feita através do título ou, na sua ausência, do primeiro verso. Convém alertar para o facto de um primeiro verso não corresponder, necessariamente, ao primeiro verso de um poema, podendo ser apenas parte dele :

  • ou porque o início do poema está numa folha com uma determinada cota e a sua continuação numa outra, arrumada numa caixa distante, como no caso do poema I de «O Pastor Amoroso». Inicia-se num fragmento de folha com a cota E3/67-55r («Quando eu não te tinha» : [1ºv.]), continua num outro fragmento com a cota 65-63r («Vejo melhor os rios quando vou comtigo» : [1ºv.]) e termina numa folha com a cota E3/67-56r («Só me arrependo de outr’ora te não ter amado» : [1ºv.]) ; nestes casos é possível ter acesso ao corpus do poema através de Corpus do poema
  • ou porque se trata de variante(s) de um ou mais versos que integram o poema (como em 68-12r «Mas os pastores de Vergilio não são pastores: são Virgílio.» : [1ºv.], variantes dos versos 5 e 6 do poema XII de «O Guardador de Rebanhos»).

Outros casos derivam do facto de os editores de Pessoa nem sempre coincidirem na forma como publicaram os textos.

3. Datas
Há poemas datados pelo autor, poemas com datas atribuídas (que são apresentadas entre parênteses rectos) e poemas sem data. A atribuição baseou-se em critérios diversificados : data de poema no mesmo suporte, data do próprio suporte, publicação do poema em vida do autor, passagem a limpo de versão anterior datada, e, em casos mais raros, no papel e instrumento de escrita.
Os poemas datados aqui apresentados têm como datas-limite 1914 e 1930 :

«O Guardador de Rebanhos» : o caderno com a cota E3/145 apresenta no final a data «1911-1912», mas essa data deve ser entendida apenas como um elemento para a construção da biografia de Alberto Caeiro, já que as datas, situadas entre Março e Maio de 1914, colocadas no final de alguns dos poemas, são as datas dos rascunhos que precederam esta passagem a limpo. Como não se sabe em que momento Pessoa parou de fazer emendas, a este manuscrito foi atribuída a data de [post. Maio 1914].
Para o conjunto das versões soltas, os poemas datados são de 1914, embora haja dois versos, provavelmente variantes do poema XII, datados de 1919, e um poema, eventualmente deste ciclo, com o mesmo 1º verso do poema XI, «Aquella senhora tem um piano,» datado de 1930.

«O Pastor Amoroso» : os poemas I e II têm a data de 1914, embora haja uma variante do 1º verso do Poema I escrito por volta de 1931; os restantes seis têm a data de 1929 ou 1930

«Poemas Inconjuntos» : os poemas datados têm como datas-limite 1914 e 1930.

4. Ortografia
O título ou o 1º verso são sempre dados com a ortografia do documento, podendo ser recuperados através do índice geral com a ortografia actualizada.

5. Nota de publicação
É sempre mencionada a 1ª publicação do poema: em revista, se foi editado pelo próprio poeta; em monografia, se a edição foi póstuma.
Inclui-se sempre a publicação na Ática, por se considerar que é a edição de maior divulgação.

Índices

Índices específicos por núcleo, com ortografia actualizada

Índice de primeiros versos e de títulos de «O Guardador de Rebanhos»
Índice de primeiros versos de «O Pastor Amoroso»
Índice de primeiros versos e de títulos de «Poemas Inconjuntos»

Índices gerais de toda a poesia de Caeiro, com ortografia actualizada

Índice geral de primeiros versos e de títulos
Índice geral de cotas
Índice geral cronológico (apenas dos poemas datados)

Referências

I – Fernando Pessoa

Alberto Caeiro
1925  
  «Escolha de poemas de Alberto Caeiro (1889-1915) : de 'O Guardador de Rebanhos' (1911-1912)». ATHENA, Lisboa, vol. I (4) Jan. 1925, pp. 145-156
«Escolha de poemas de Alberto Caeiro (1889-1915) : dos 'Poemas Inconjunctos’ (1913-1915)», ATHENA, Lisboa, vol. I (5) Fev. 1925, pp. 197-204
1931  
  «O oitavo poema de O Guardador de Rebanhos». PRESENÇA , Coimbra, (30) Jan. 1931, pp. 6-7
«O penúltimo poema». PRESENÇA , Coimbra, (31-32) Mar.-Jun. 1931, p. 10
1946  
  MONTALVOR , Luiz de e SIMÕES , João Gaspar (eds lit.) Poemas de Alberto Caeiro. 1ª edição. Lisboa: Ática (Obras Completas de Fernando Pessoa, III)
1960  
  GALHOZ , Aliete (ed. lit.) Obra Poética. 1ª edição. Rio de Janeiro: Aguilar
1986  
  GALHOZ , Aliete (ed. lit.) Obra Poética. 8ª edição revista e aumentada. Rio de Janeiro: Aguilar
1994  
  CASTRO , Ivo (ed. lit.) O manuscrito de O Guardador de Rebanhos de Alberto Caeiro . Edição fac-similada. Apresentação e texto crítico de Ivo Castro. Lisboa: D. Quixote
1994  
  CUNHA , Teresa Sobral Cunha (ed. lit.) Poemas Completos de Alberto Caeiro. Lisboa: Presença
2001  
  MARTINS , Fernando Cabral e ZENITH , Richard (eds. lit.) Poesia de Alberto Caeiro. Lisboa: Assírio e Alvim
   
Álvaro de Campos
1993  
  LOPES , Teresa Rita (ed. lit.) Livro de Versos de Álvaro Campos. Lisboa : Estampa
   
Fernando Pessoa ortónimo
2001  
  CASTRO , Ivo (ed. lit.) Poemas de Fernando Pessoa: 1921-1930, Lisboa: IN-CM (Edição Crítica de Fernando Pessoa, Vol. I, Tomo III)

II - Editar Caeiro

CASTRO , Ivo «Para o texto de ‘O Guardador de Rebanhos’». Sep. das Actas do Colóquio ‘Critique Textuelle Portugaise’ (Paris, 20-24 Out. 1981). Paris: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986, pp. 319-328.
CASTRO , Ivo «O corpus de ‘O Guardador de Rebanhos’ depositado na Biblioteca Nacional». Sep. da Revista da Biblioteca Nacional, 2 (1) 1982, pp. 47-61.

 
© 2006 Biblioteca Nacional de Portugal