Sophia
de Mello
Breyner
Andresen
anos 50
A casa da Travessa das Mónicas
As histórias para crianças
Os amigos
 
Sophia fotografada por Fernando Lemos, no jardim da casa da Travessa das Mónicas, anos 50
Início Introdução 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 Bibliografia e Prémios

Saudades do mar
Quando eu era nova e vim para Lisboa senti-me longíssimo da praia porque no Porto vivia mais perto do mar. Não gostava de Lisboa, tinha uma grande nostalgia do Norte. Depois isso foi passando. E hoje gosto de Lisboa (…). Resposta a JCV

outros poemas:Nocturno da GraçaLisboaPoemas lidos pela autora
Sophia com a mãe e três filhos: Maria, Isabel e Miguel
Sophia com a mãe e três filhos: Maria, Isabel e Miguel
 
As casas

Há sempre um deus fantástico nas Casas
Em que eu vivo, e em volta dos meus passos
Eu sinto os grandes anjos cujas asas
Contêm todo o vento dos espaços.
in Dia do Mar, 1947
 

Chegada à casa da Travessa das Mónicas

Postal para a Mãe
«Lisboa 3 de Novembro de 1951. Estou na Graça! Cheguei hoje. Passei esta semana a abrir e desembrulhar as coisas que me mandou. São tão bonitas. Ficam aqui tão bem. Tenho tudo o que preciso!!! A casa está linda! (…)».

 

JCV A Sophia vive nesta casa há muito tempo...
Há muito. E gosto muito dela. Quando aqui entrei cantei o «Magnificat». É uma casa muito bonita que eu embelezei. Tem um jardim que era uma lixeira, quando aqui cheguei. Foi o Gonçalo Ribeiro Teles que fez o desenho. É um jardim que eu rego e trato.
Há esses dois lados, ou dois espaços, um virado para a travessa das Mónicas, onde havia uma prisão, outro virado para o rio. Tenho um conto chamado «Silêncio», onde isso aparece. Agora deixou de haver a prisão, a fachada do prédio foi pintada e a rua está mais limpa.
continua...

 

Sophia e Francisco durante um passeio no rio Tejo ao largo de Lisboa, anos 50.
 
«Vista de Lisboa» [da varanda da Travessa das Mónicas] Nikias Skapinakis, 1981
«Vista de Lisboa» [da varanda da Travessa das Mónicas]
Nikias Skapinakis, 1981
 
Imagem da obra 1950 Publica Coral 1950 Morre o pai 1951 No dia 3 de Novembro Sophia, o marido e os 3 filhos já nascidos começam a viver no nº 57, 1º andar, da Travessa das Mónicas, em Lisboa, onde viverá até morrer, em 2004. Sophia fotografada por Fernando Lemos, no jardim da casa da Travessa das Mónicas, anos 50 Sophia fotografada por Fernando Lemos, no jardim da casa da Travessa das Mónicas, anos 50 Imagem da obra 1954 Publica No Tempo Dividido 1957 Participa na campanha de Humberto Delgado; a partir dessa data, até 1974, colabora activamente com a oposição ao Estado Novo, tendo integrado o grupo de pessoas que fundaram a Associação Nacional de Socorro aos Presos Políticos.
LEGENDA Fotografias: Colecção Família de Sophia de Mello Breyner Andresen
Manuscritos: Espólio de Sophia de Mello Breyner Andresen
Entrevistas: JCV - José Carlos de Vasconcelos
Biblioteca Nacional de Portugal Ficha técnica © 2011 Biblioteca Nacional de Portugal