Sophia
de Mello
Breyner
Andresen

anos 90
 
Início Introdução 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 Bibliografia e Prémios
 
   
outros poemas: JanelaEurydice

Dai-me a casa vazia e simples onde a luz é preciosa. Dai-me a beleza intensa e nua do que é frugal. Quero comer devagar e gravemente como aquele que sabe o contorno carnudo e o peso grave das coisas.
Não quero possuir a terra mas ser um com ela. Não quero possuir nem dominar porque quero ser: esta é a necessidade.
Com veemência e fúria defendo a fidelidade ao estar terrestre. O mundo do ter perturba e paralisa e desvia em seus circuitos o estar, o viver, o ser. Dai-me a claridade daquilo que é exactamente o necessário. Dai-me a limpeza de que não haja lucro. Que a vida seja limpa de todo o luxo e de todo o lixo. Chegou o tempo da nova aliança com a vida.

inédito sem data

continua...

 

Sophia, Nuno Júdice e Al Berto, «Le Portugal à Bordeaux»
Sophia, Nuno Júdice e Al Berto, «Le Portugal à Bordeaux».
 Sophia com Lurdes Castro.  Madeira, 1994
Sophia com Lurdes Castro.
Madeira, 1994
Sophia com o neto Martim. Alentejo, 1994
Sophia com o neto Martim. Alentejo, 1994
Sophia com os seus amigos de infância António Manuel Couto Viana e Eugénia Aurora.
Sophia com os seus amigos de infância António Manuel Couto Viana e Eugénia Aurora.
 

A Casa

A casa que eu amei foi destroçada
A morte caminha no sossego do jardim
A vida sussurrada na folhagem
Subitamente quebrou-se não é minha

in Dual, 1972

 
Fotografia
Sophia. Anos 90
Imagem da obra 1991 Publica Singraduras Imagem da obra 1994 Publica Musa Imagem da obra 1997 É publicado o conto Era Uma Vez uma Praia Atlântica Imagem da obra 1997 Publica O Búzio de Cós
Fotografia Cerimónia de entrega do Prémio Camões. Novembro 1999
LEGENDA Fotografias: Colecção Família de Sophia de Mello Breyner Andresen
Manuscritos: Espólio de Sophia de Mello Breyner Andresen
Biblioteca Nacional de Portugal Ficha técnica © 2011 Biblioteca Nacional de Portugal