BIBLIOTECA NACIONAL
About the exibition Au sujet de cet exibition
200 ANOS DO ROMANCE DE AVENTURAS EM PORTUGAL Mosqueteiros - Desenho de Ana Maria  
A Exposição ROMANCE DE AVENTURAS ALEXANDRE DUMAS OUTROS AUTORES ESTRANGEIROS ROMANCE DE AVENTURAS EM PORTUGAL
Vista da sala sobre Alexandre Dumas
Apresentação Sobre a exposição Catálogo Eventos relacionados Outros sites sobre aventuras

Sobre a Exposição: Sala A Alexandre Dumas (1802-1870)

Alexandre Dumas desfrutou de uma enorme popularidade em vida. Ele criou um género a que Claude Schopp chama “o romance histórico teatral, que se desenvolve em cenas admiravelmente dialogadas, um género – que não tem outras regras senão distrair e agradar – de que ele é o mestre incontestável.” Ainda segundo o seu biógrafo, o escritor, antes de enveredar pelo romance histórico - depois do extraordinário sucesso de Os três mosqueteiros -, hesitou entre o romance mundano, o romance sentimental, o romance fantástico e romance criminal.

Nesta exposição pode ver-se um pouco o que foi a recepção em Portugal à obra do autor de O Conde de Monte Cristo, através das traduções (de que se encontram mencionadas no catálogo pouco menos de 300, tanto em livros como em publicações periódicas).

"Apontamentos d'Antony" é a primeira tradução de Dumas referenciada. Saiu em folhetins na Revista Estrangeira, de Coimbra, entre Junho e Dezembro de 1837. Dois anos depois é publicada a primeira obra em livro: Antony: drama em cinco actos extraído de um original francez. Editada pela Imprensa da Universidade de Coimbra em 1839, era assinada por "Um Academico".

Refira-se que A mão do finado: romance em continuação do Conde de Monte Cristo, publicado em 1853 e muitas vezes atribuído a Dumas, é da autoria de Alfredo Possolo Hogan (1830-1865).

 
 
A Exposição ROMANCE DE AVENTURAS ALEXANDRE DUMAS OUTROS AUTORES ESTRANGEIROS ROMANCE DE AVENTURAS EM PORTUGAL