BIBLIOTECA NACIONAL - TESOUROS
 
Cartografia Espólios Iconografia Impressos Manuscritos Música Periódicos
See this site in English
 
       

MERCÚRIO PORTUGUÊS

Consultar esta obra
MERCÚRIO PORTUGUÊS. Lisboa, 1663 Mercurio Portuguez com as novas da Guerra entre Portugal & Castela / [red. António de Sousa de Macedo]. - Jan. 1663-[Jul. 1667]. - Lisboa : Na Officina de Henrique Valente de Oliveira, 1663-1667. - 20 cm
RES. 110 V.
F. 3612

Nos primórdios da imprensa periódica portuguesa destacaram-se, sem sombra de dúvida, dois títulos - a "Gazeta" e o "Mercúrio Português".

A designação de mercúrio foi adoptada por publicações de vários países europeus, evocando o simbolismo do mensageiro dos deuses. Segundo os estudiosos da imprensa periódica, havia diferenças claras entre os mercúrios e as gazetas, apresentando estas últimas um carácter mais noticioso.

Deste modo, considera-se a "Gazeta" como o primeiro periódico de notícias que se publicou em Portugal e o "Mercúrio" como o primeiro periódico político português. O "Mercúrio Português" surgiu em Janeiro de 1663, na cidade de Lisboa, e foi publicado até 1667.

O seu director e redactor foi o escritor, político e diplomata António de Sousa de Macedo, por muitos considerado o primeiro jornalista português.

O tema principal do jornal era, como vinha apresentado no próprio título, "as novas da guerra entre Portugal e Castela". Este tema, de grande actualidade e de importância decisiva para o país, empenhou totalmente António de Sousa de Macedo que nele utilizou as suas grandes qualidades literárias.

O jornal era impresso mensalmente na oficina de Henrique Valente de Oliveira, variando o seu preço entre 5 e 10 réis. Cada número tinha em regra 8 a 32 páginas e, até Dezembro de 1666, foi redigido por António de Sousa de Macedo. No ano de 1667 saíram mais 7 números, redigidos por autor anónimo. António de Sousa de Macedo nasceu no Porto em 1606, tendo-se formado em Direito na Universidade de Coimbra. Veio depois para Lisboa exercer o cargo de desembargador da Casa da Suplicação e, em 1641, foi nomeado secretário de embaixada. Com este cargo, seguiu para a corte de Inglaterra, onde muito se esforçou no sentido de serem reconhecidos os direitos do rei D. João IV à coroa portuguesa.

Em 1651 foi nomeado embaixador na Holanda, onde permaneceu alguns anos. De volta a Portugal, foi-lhe confiado o cargo de Secretário de Estado de D. Afonso VI em 1663, ano em que iniciou a publicação do "Mercúrio Português".

O "Mercúrio Português", sendo embora um jornal de cariz eminentemente político, não tratava apenas da guerra entre Portugal e Castela.Inseria também muitas outras informações, tanto do país, e de Lisboa principalmente, como do estrangeiro, de interesse muito variado.

Por exemplo, no mês de Maio de 1665 referia a abertura de uma rua, denominada de Rua Nova do Almada, que iria tornar mais fácil a comunicação entre a baixa e a alta de Lisboa. O nome da rua devia-se ao nome do seu autor, o presidente do senado da câmara, Rui Fernandes de Almada.

No número de Agosto de 1666, o jornal descrevia em pormenor a chegada de França e a entrada em Lisboa de D. Maria Francisca Isabel de Sabóia, que vinha ao encontro de seu esposo, o rei D. Afonso VI.

António de Sousa de Macedo foi o redactor do "Mercúrio Português" até Dezembro de 1666. Nesse último número do ano de 1666, despedia-se dos seus leitores, expondo uma vez mais as razões que o levaram a publicar este periódico - "tapar a boca aos Castelhanos". No ano seguinte foram ainda publicados mais 7 números, sem no entanto se conhecer o seu autor.

Maria Fernanda Casaca Ferreira - Divisão de Serviços Especiais




BIBLIOGRAFIA

CUNHA, Alfredo da - Elementos para a história da imprensa periódica portuguesa (1641 - 1821). - Lisboa : [s. n.], 1941

SOUSA, José Manuel Mota de ; VELOSO, Lúcia Maria Mariano - História da Imprensa Periódica Portuguesa. - Coimbra : Biblioteca Geral da Universidade, 1987

TENGARINHA, José - História da imprensa periódica portuguesa. - Lisboa : Caminho, 1989

  2003 Biblioteca Nacional Crédito e Direitos de Propriedade Intelectual