BIBLIOTECA NACIONAL - TESOUROS
 
Cartografia Espólios Iconografia Impressos Manuscritos Música Periódicos
See this site in English
 
       

[MANUSCRITOS]
VILALOBOS, Manuel Pinto de
Tractado do uzo do pantometra de desenhar as forteficasoins ...

Consultar esta obra
VILALOBOS, Manuel Pinto de, ?-1734
Tractado do uzo do pantometra de desenhar as forteficasoins assim do lado do polygono exterior p[ar]a fora, como do lado do polyg[o]no exterior pera dentro nas figuras tanto regulares como irregulares pello Methodo de Luis Serrão Pimentel Eng[enhei]ro mor do R[ei]no e Cosmographo mor delle Tenente g[e]n[era]l da artelheria de q[u]alquer das Prov[in]c[i]as / por M[anu]el Pinto de v[il]a Lobos Capp[it]am Eng[enhei]ro na Prov[i]nc[i]a do Minho. - [entre 1688 e 1697]. - [II], [29] f., enc. : il. ; 15x21 cm
BNP COD. 13201

Manuscrito inédito, da autoria de Manuel Pinto de Vilalobos, membro de uma ilustre família de engenheiros - arquitectos portugueses dos sécs. XVII-XVIII, cuja actividade se desenvolveu sobretudo na província do Minho. O engenheiro e arquitecto militar Manuel Pinto de Vilalobos, filho do arquitecto «patriarca» Vilalobos, seu homónimo, foi natural de Viana da Foz do Lima (Viana do Castelo), tendo feito a sua formação na Aula de Fortificação da Ribeira das Naus, em Lisboa, onde foi aluno de Francisco Pimentel (1652-1706), filho do notável engenheiro e cosmógrafo - mor do Reino Luís Serrão Pimentel (1613-1679). Terminada a sua formação em 1682, desempenha o cargo de ajudante de engenheiro da Província do Minho, onde é discípulo e colaborador de Miguel de Lescole (?-1688), engenheiro oficial daquela província. A discência e colaboração com o engenheiro francês vão-se revelar determinantes para a formação teórica e prática do engenheiro e arquitecto português, que irá desenvolver posteriormente ampla e relevante obra, sobretudo no domínio da Arquitectura Militar, de que se destaca a fortificação de praças em Trás-os-Montes, Minho e Beira.

A actividade de Vilalobos estendeu-se igualmente à produção teórica, materializada em diversos tratados sobre Ciência e Técnica Militares, de que o presente manuscrito é exemplo. Elaborado no âmbito da acção pedagógica desenvolvida por Pinto Vilalobos na Aula de Fortificação de Viana do Castelo, criada por D. Pedro II, e oficializada em 1701, contém um pequeno tratado sobre a utilização do pantómetra, também designado compasso de proporção, instrumento indispensável em Arquitectura Militar.

Embora sem data expressa, a menção na folha de rosto ao autor da obra, e à sua patente militar – capitão - , permite situar o manuscrito entre o ano de 1688 (data em que Vilalobos ascendeu ao posto de capitão), e o ano de 1697, no qual foi nomeado sargento – mor engenheiro da província do Minho.

Trata-se de uma cópia, em letra da mesma mão. O texto é acompanhado de desenhos à pena, a sépia, com representação de figuras geométricas e plantas de fortificações.

Encadernação da época, em pele, sobre pastas de cartão, com ferros gravados a seco e a ouro na lombada.

O manuscrito pertenceu à valiosa livraria da Casa Cadaval, de que ostenta o carimbo, tendo sido adquirido pela Biblioteca Nacional em 1995.

Teresa Duarte Ferreira – Área de Manuscritos – Divisão de Reservados

BIBLIOGRAFIA

SOROMENHO, Miguel
Manuel Pinto de Vilalobos : da Engenharia Militar à Arquitectura
. Lisboa : [s.n.], 1991. Exemplar policopiado

SOROMENHO, Miguel
«O desenho das fortificações : dois manuscritos inéditos do engenheiro vianense Manuel Pinto Vilalobos»
. Cadernos Vianenses . Viana do Castelo : Câmara Municipal, 1997. Tomo 22


  2003 Biblioteca Nacional Crédito e Direitos de Propriedade Intelectual