BIBLIOTECA NACIONAL NATIONAL LIBRARY OF PORTUGAL
OS PORTUGUESES E O ORIENTE (1840-1940)
Thai
Sobre a exposição About the exhibition
Sião China Japão
* O diálogo falhado
*
* Kangxi, o Grande
* China amada, China Desprezada
* O Início das agressões europeias
* Narcotização da China pelos Britânicos
* A Mais suja das Guerras
* Semi-descolonização europeia
* A tragédia dos Culis
* O fracasso das reformas
* A China Moribunda
*
O último imperador
*  Os senhores da Guerra
*  A Guerra com o Japão
* A nova China
*  Biografias e Bibliografia

O diálogo falhado

Uma civilização que se considerava o centro do mundo, superior a todas as outras

O Celeste Império era ainda, no primeiro quartel do século XVIII, um insondável mistério para os ocidentais que das suas fronteiras se aproximavam. Apenas a duas categorias de “diabos brancos” era permitido franqueá-las: aos missionários católicos, que entravam por Macau com destino a Pequim, onde dissimulavam a actividade sacerdotal exercendo actividades de assistência científica nos domínios da matemática, astronomia, relojoaria, necessárias para a elaboração dos calendários imperiais; e aos mercadores, confinados sazonalmente a Cantão para aprovisionamento de sedas, porcelanas e chá, impedidos de sair do bairro das feitorias e submetidos a atenta vigilância do Vice-rei de Guandong e seus mandarins.

Se o Império do Meio não aceitava outra relação com o mundo exterior que a de suserania, recusando com altaneira superioridade esses “Folangxi”, bárbaros hirsutos, de nariz bicudo e faces rubicundas, ávidos de negócios, que imploravam a quase indiferente atenção do Filho dos Céus, não deixava de se interessar, em crescendo, pelos conhecimentos científicos que estes detinham.

 
 
Créditos do site