BIBLIOTECA NACIONAL NATIONAL LIBRARY OF PORTUGAL
OS PORTUGUESES E O ORIENTE (1840-1940)
Thai
Sobre a exposição About the exhibition
Sião China Japão
* O diálogo falhado
*
* Kangxi, o Grande
* China amada, China Desprezada
* O Início das agressões europeias
* Narcotização da China pelos Britânicos
* A Mais suja das Guerras
* Semi-descolonização europeia
* A tragédia dos Culis
* O fracasso das reformas
* A China Moribunda
*
O último imperador
*  Os senhores da Guerra
*  A Guerra com o Japão
* A nova China
*  Biografias e Bibliografia

“Perigo Amarelo”

Quando a China era invadida e roubada pelos Europeus nasceu, contraditoriamente, o "mito" do perigo amarelo.

O “perigo amarelo”, invocado por Guilherme II da Alemanha, passou a mito para a literatura popular e para a imprensa sensacionalista de massas. Do medo pelas hordas amarelas cavalgando pelas estepes da Sibéria e assolando a Europa, depressa se passou para a teoria da conspiração. O temível Fu Manchu, de Sax Rohmer, era bem a corporização desse medo. Na mais pacífica lavandaria do bairro chinês, no mais prosaico vendedor de gravatas e bugigangas esconder-se-ia, pérfido e venenoso, o inimigo da civilização ocidental ! Esta desconfiança era, como hoje se sabe graças ao conhecimento que se vai tendo da atitude da elite letrada chinesa em relação ao Ocidente, falsa. Os poucos chineses que visitaram a Europa no desempenho de missões diplomáticas e científicos, deixaram testemunhos de grande admiração e respeito pelo Ocidente, não deixando de gabar as grandes realizações tecnológicas e científicas da nossa civilização e procurando, depois de regressados à China, influenciar políticas de timbre ocidentalizante.

 
 
Créditos do site