BIBLIOTECA NACIONAL NATIONAL LIBRARY OF PORTUGAL
OS PORTUGUESES E O ORIENTE (1840-1940)
Thai
Sobre a exposição About the exhibition
Sião China Japão
* O diálogo falhado
*
* Kangxi, o Grande
* China amada, China Desprezada
* O Início das agressões europeias
* Narcotização da China pelos Britânicos
* A Mais suja das Guerras
* Semi-descolonização europeia
* A tragédia dos Culis
* O fracasso das reformas
* A China Moribunda
*
O último imperador
*  Os senhores da Guerra
*  A Guerra com o Japão
* A nova China
*  Biografias e Bibliografia

O último imperador

PU Yi, uma criança a quem estava destinada uma vida trágica

Quando o último imperador (Pu Yi) foi arredado - criança a quem ainda estava destinado um trágico papel de marioneta na história chinesa contemporânea – Sun Yat-Sen (Sun Zhongshao), o pai da república, recebia o favor dos ocidentais, mas não a ajuda militar e financeira de que carecia para governar. Percorrendo o mundo em busca de apoios que nunca chegariam, viu o poder cair nas mãos de um ditador (Yuan Shikai), que depressa se quis fazer imperador. Esta indiferença do Ocidente pelo reformismo de Sun – que era cristão – marcou-o profundamente. Ao afirmar, dos ocidentais, serem uma “civilização sem vergonha, a suar astúcia por todos os poros, e apodrecida na lógica grosseira”, exprimia sem rebuço o entendimento que as novas elites da China tinham da manutenção de uma indigna situação semi-colonial de facto, que teve como consequência, duas décadas depois, o longo isolacionismo chinês, só terminado na década de 80 do século XX.

 

 
 
Créditos do site