BIBLIOTECA NACIONAL NATIONAL LIBRARY OF PORTUGAL
OS PORTUGUESES E O ORIENTE (1840-1940)
Thai
Sobre a exposição About the exhibition
Sião China Japão
* O diálogo falhado
*
* Kangxi, o Grande
* China amada, China Desprezada
* O Início das agressões europeias
* Narcotização da China pelos Britânicos
* A Mais suja das Guerras
* Semi-descolonização europeia
* A tragédia dos Culis
* O fracasso das reformas
* A China Moribunda
*
O último imperador
*  Os senhores da Guerra
*  A Guerra com o Japão
* A nova China
*  Biografias e Bibliografia

Biografias e bibliografia

BASTOS, A. J. Pinto. Cruzador S. Gabriel: viagem de circumnavegação J. Pinto Bastos. - Lisboa: Livraria Ferreira, 1912.
António Aloísio Jervis de Atouguia Pinto Bastos foi oficial da armada e ajudante de campo dos reis D. Carlos I e D. Manuel II. Zarpando da barra do Tejo em Dezembro de 1909, este vaso de guerra da marinha portuguesa rumou para o Atlântico Sul, tocando o Brasil e o Uruguai antes de passar o Cabo Horn. Depois de visitar a costa ocidental das américas, transpôs o
Pacífico, visitando sucessivamente o Hawai, o Japão, a China (Xangai, Hong Kong, Macau), as Filipinas e Timor português, antes de regressar a Lisboa em Abril de 1911. No Japão: encontro com Venceslau de Morais, jantar em Osaka com geishas, visita à trepidante Tóquio, aos templos de Nara e aos teatros de Kyoto, mas também aos impressionantes estaleiros e arsenais do novo e poderoso Japão. Na China: a Xangai feérica e pobre, Hong Kong, praça forte inglesa, Macau adormecida na evocação de grandes feitos pretéritos. - Obra profusamente ilustrada com fotos e gravuras.

BRASÃO, Eduardo. Apontamentos para a história das relações diplomáticas de Portugal com a China : 1516-1753. Lisboa: Ag. Geral das Colónias. Divisão de Publicações e Biblioteca, 1949

BUTEL, Paul. L’opium. Paris: Perrin, 1995

CALDEIRA, Carlos José. Apontamentos d’uma viagem de Lisboa á China e da China a Lisboa. Lisboa: Typographia de Castro & Irmão, 1853.
Partindo de Lisboa em 1850 a bordo de um vapor inglês, o autor, depois de tocar Singapura, aportou em Macau, onde permaneceu durante dezasseis meses e no decurso dos quais teve a oportunidade de visitar Cantão e Xangai. Texto importante, revela o início do estertor da China imperial sob a acção conjugada das agressões militares europeias subsequentes às guerras do ópio, da abertura dos portos chineses após a assinatura dos primeiros tratados desiguais e do crescente descontentamento interno anti-Manchú que lavrava no país. A miséria generalizada, a toxicodependência, a desagregação dos exércitos e da administração chinesas num registo com claro apelo a uma intervenção portuguesa nos assuntos internos da China.

CARR, Caleb. Le diable blanc. Paris : Presses de la Cité, 1999

CORDIER, Henri. Histoire générale de la Chine et de ses relations avec les pays étrangers depuis les plus anciens jusqu'à la chute de la dynastie Mandchoue : depuis l’avènement de Tao Kuang (1821) jusqu'à l’époque actuelle (vol. IV). Paris : Librairie Paul Geuthner, 1921

CRESPO, Joaquim Heliodoro Calado. A China em 1900. Lisboa : Manuel Gomes, 1901
Oficial do exército e diplomata, Calado Crespo ocupou postos em Zanzibar e Pretória, tendo sido posteriormente destacado para o consulado de Portugal em Cantão, cargo que ocupou entre 1895 e 1900. - Texto descritivo e factual, exprime a posição da diplomacia europeia em relação à China. - Contém: quadro geral da conturbada vida política chinesa de finais do século XIX; os protagonistas; as sociedades secretas; a revolta dos “boxers”; o cerco das legações estrangeiras em Pequim; intervenção das potências europeias.

CRUZ, Gaspar da, O.P. Tractado em que se cõtam muito por este[n]so as cousas da China cõ suas particularidades e assi do reyno dormuz [sic] . Euora : em casa de Andre de Burgos, 1569

DU HALDE, Jean Baptiste. Description geographique, historique, chronologique, politique, et physique de l'Empire de la Chine et de la Tartarie Chinoise. Paris : chez P. G. Le Mercier, 1735

FERRAZ, Guilherme Ivens. O cruzador "República" na China em 1925, 1926 e 1927 : subsídios para a história da guerra civil da China e dos conflitos com as potências. Lisboa : Imprensa da Armada, 1932.
Relatório do comandante das forças navais portuguesas no Extremo Oriente, redigido na conclusão da missão de vigilância no teatro de operações da guerra civil chinesa 1925-27. - Contém: breve historial dos conflitos entre o Império Celeste e as potências europeias (e Japão); as perturbações de Maio e Junho de 1925 em Cantão contra as concessões ocidentais; viagem do “República” de Lisboa a Macau, com passagem por Singapura; aliança momentânea entre Chaing Kai-Shek e os bolchevistas; o governo “branco” do general Chen Kwing Ming em Cantão, próximo das potências europeias (Portugal e Grã-Bretanha); lutas entre senhores da guerra no norte e sul do país; as regiões ocupadas pelo Exército Vermelho; Kuomintang vence senhores da guerra; corpo expedicionário português em Xangai; vitória nacionalista sobre os comunistas.

INSO, Jaime do. Visões da China. [s.l.]: [s.n.], 1933 (Lisboa: Tip. Élite)
Continuação, nas palavras prefaciais do autor, de Caminho do Oriente, constitui este livro uma colectânea de artigos escritos para jornais portugueses, brasileiros e macaenses entre 1926 e 1932. - A China, pelo autor encarada sempre como veneno corruptor da vontade daqueles que dela se abeiram, vulnerável, cobiçada e retalhada pelas potências imperialistas, emerge lentamente do traumático embate com o Ocidente. Na dolorosa metamorfose - síntese entre a velha China dos pagodes, dos jarrões e dragões e as ideias ocidentais - Inso assiste ao nascimento do nacionalismo chinês e do comunismo, expressão contraditória de ocidentalização e revolta contra o europeu. De Macau a Cantão, assiste à passagem do culto do ópio entorpecedor à revolta contra o homem branco.

KAHN, Harold. Monarchy in the emperor’s eyes: image and reality in the Chien-lung reign. Cambridge: Harvard University Press, 1971

LÉVY, André. Novas cartas edificantes e curiosas do Extremo Ocidente por viajantes chineses na Belle Époque: 1866-1906. Companhia das Letras Sao Paulo 1988

LISBOA, Henrique C. R. A China e os chins : recordações de viagem. Montevideo : Typ. A. Godel, 1888

LOTI, Pierre. Os últimos dias de Pequim. Porto : Livr. Lello, [D.L. 1934

MACHADO, Joaquim José. Missão na China: diário do Comissário Régio Joaquim José Machado nas conferências luso- chinesas para a delimitação de Macau (1909-1910). Macau: Fundação de Macau, 1999
Oficial general do exército, ocupou sucessivamente os cargos de Governador-Geral de Moçambique (1890) e da Índia (1897- 1900) antes de ser enviado representante do governo português nas conferências internacionais para a delimitação do território de Macau. - O diário dessa missão à China contém informações importantes sobre as relações luso-chinesas, particularmente tensas no respeitante à disputa sobre a soberania da Taipa, Coloane e Lapa, mas reflecte a percepção da realidade chinesa num momento em que nalguns círculos da governação portuguesa ganharam alguma expressão os adeptos de soluções expeditas. A China de J.J. Machado apresenta-se-nos como um imenso colosso imobilizado num obstinado conservadorismo, entre ruínas, podridão e incúria do poder Qing. - Palcos das negociações: Macau, Hong Kong, Xangai e Pequim. - Merecedor de referência especial, o estudo introdutório de António Vasconcelos Saldanha sobre as dimensões jurídica e diplomática das
negociações.

MORGADO, Vasco Martins.A guerra vista de Cantão : os relatórios de Vasco Martins Mogado, Cônsul-Geral de Portugal em Cantão, sobre a Guerra Sino-Japonesa. Macau : Instituto Português do Oriente, 1998.
Diplomata com serviços prestados no Brasil, Espanha, China (Cantão e Hong Kong), África do Sul, Marrocos e Alemanha, Vasco Martins Morgado foi testemunha presencial dos dois primeiros anos da guerra sino-japonesa (1937-1945), preâmbulo da Guerra do Pacífico. O recuo do exército chinês, os bombardeamentos, o êxodo civil, os massacres e a intriga política e diplomática vistos por um observador independente. Um diário [profissional] em que se cruzam as funções consulares do seu autor com uma tocante simpatia pela causa chinesa. Especial menção para o estudo introdutório de António Vasconcelos de Saldanha.

MURET, Maurice. Le crépuscule des nations blanches. Paris : Payot, 1926

PALHA, J. António Filipe de Morais. Esboço crítico da civilização chinesa ; com um prefácio do Sr. Dr. Camillo Passanha. Macau : Typ. Mercantil N. T. Fernandes e Filhos 1912
Contém: assinatura autógrafa do autor, com dedicatória. - Um dos textos mais inclementes escritos em português sobre a China, marcado por extremo preconceito, afirma a decadência dessa civilização, considerando-a exausta, supersticiosa, egoísta, xenófoba, impúdica e em decomposição. Lamentando viverem os chineses sem o “impulso positivo de Descartes, Bacon e Voltaire” (!), perdendo-se em minudências e actos gratuitos, esmagados pela tirania e pelo servilismo, Palha socorre-se de pequenas histórias e experiências de ocidentais por terras da China para acentuar os contornos da queda do império. Palavras de alento, apenas para Sun Yat Sem, cuja revolução teria rompido “as poderosas cadeias que traziam [a China] fora do
progresso universal”.

RAMOS, João de Deus. História das relações diplomáticas entre Portugal e a China: O padre António de Magalhães, S.J., e a Embaixada de Kangxi a D. João V (1721-1725). Macau : Instituto Cultural, 1991

RODRIGUES, Francisco. Jesuítas portugueses astrónomos na China: 1583-1804. Porto: Tip. Porto Médico, Ldª, 1925

PERRONT, Nadine. Shangai: opium, jeu, prostitution. Arles : Picquier & Protière, 2002. Paris : Garnier-Flammarion, 1974

PEYREFITTE, Roger. O império imóvel ou o choque dos mundos. Lisboa : Gradiva, 1988

PU YI. El ultimo imperador: autobiografia del hombre que perdió el trono imperial chino. Madrid: Globus Comunicación, 1990
O último imperador seria depois, sob pressão japonesa, investido como soberano do Estado fantoche do Manchukuo Manchúria). Detido para “reeducação”, terminou a vida como jardineiro na Cidade Proibida. A sua autobiografia foi corrigida e aprimorada por Lao She, um dos maiores novelistas chineses do século XX.

RICCI, Matteo, S.I. Storia dell'introduzione del cristianesimo in Cina. Roma : La Libreria dello Stato, 1949

SALDANHA, António Vasconcelos de. De Kangxi para o Papa, pela via de Portugal. Macau: IPOR, 2002

SPENCE, Jonathan. Em busca da China moderna : quatro séculos de história. São Paulo : Comp. das Letras, 1996

SPENCE, Jonathan D. Emperor of China: self-portrait of K’ang-shi. New York: Vintage Books, 1998

VOLTAIRE. Dictionnaire philosophique. Paris : Garnier-Flammarion, 1974

 
 
Créditos do site